Delegato

S.E. Mons. Carlos Alberto de Pinho Moreira Azevedo

don Carlos
Il Delegato parla all'Assemblea

Nato (1953) a Santa Maria da Feira (Portogallo), è stato ordinato presbitero nella diocesi di Porto (1977). Ottenuta la laurea di Dottore in Storia della Chiesa presso la Pontificia Università Gregoriana nel 1986, è stato professore del Instituto de Ciencias Humanas e Teológicas – Porto e nella Facoltà di Teologia della Università Cattolica Portoghese (1987-2010). Vice-Rettore della Università Cattolica Portoghese (2000-2004) e condirettore della Scuola delle Arti, della stessa Università (2008-2011).
Direttore spirituale del Seminario Maggiore di Porto (1981-1993) e Segretario della Commissione Episcopale per il Clero, i Seminari e le Vocazioni (1988-1992).
Come segretario generale, ha organizzato i Simposi: Padres para este tempo (1993) e O estilo de vida do padre: problemas e apelos (1996). Delegado Episcopal para o Diaconado Permanente...
È stato Parroco di Senhora da Conceição, a Porto (1994 - 2000) e ha presieduto alla Assemblea dei Parroci della città (1997-1999). Quindi nominato canonico della cattedrale di Porto a 1996.
È stato Presidente del Centro de Estudos de História Religiosa (1192-2001), direttore dell’opera Dicionário e História religiosa de Portugal, in 7 volumi, e Presidente della Commissione Scientifica per l’edizione critica della documentazione su Fatima (1998-2008).
Vice-Presidente del Circolo di amici del Museu Nacional de Soares dos Reis (1991-93) e presidente (1994-96). È stato condirettore della rivista Museu (1993-1996).
Ha diretto altre riviste accademiche: Humanística e Teologia (1987-2000); Lusitania Sacra (1992-2000) e iniziato collane di libri: Biblioteca Humanística e Teológica, 14 volumi; História Religiosa: Fontes e subsídios (1995-) e Estudos de História Religiosa (1998-); Mundo, Evangelho Igreja (1999-), già in undici volumi; collana di poesia "Fogo das figuras", in sei volumi, della Fondazione Manuel Leão.
È stato Commissario generale di diverse mostre d’arte: Larga fama portucalense do culto antoniano, Porto (1996); Vigor da Imaculada: visões de arte e piedade (1998) e la più grande fatta in Portogallo: Cristo fonte de esperança, commemorativa del Grande Giubileo dell’anno 2000; O Mártir: corpo ferido na árvore (2005), in onore di San Sebastiano.
Membro della Academia Portuguesa da História (1998-). Presidente della Fondazione Spes (2007-). 
Nominato Vescovo ausiliare di Lisbona, ordinato il 2-4-2005. È stato Segretario della Conferenza Episcopale Portoghese (2005 - 2008), Presidente della Commissione Episcopale per la Pastorale Sociale (2008-2011) e membro della Commissione Episcopale per la Cultura, i Beni Culturali e le Comunicazioni Sociali (2005 a 2011). L’11-11-2011 è stato nominato Delegato del Pontificio Consiglio della Cultura.

Membro dell’ Academia Nacional das Belas artes - Lisboa (2013).

Coordinatore nazionale per il Vaticano delle “Giornate Europee del Patrimonio” (15-10-2013).

Ha scritto circa un centinaio di lavori pubblicati su libri e riviste.

Vetrina sulle sue attività


  • Conclusioni
    Conclusioni

    Le Conclusioni dell'Assemblea Plenaria 2013 sulle Culture giovanili emergenti Gesù ha inventato la parabola del... Continua


Pubblicazioni

1.      A cidade do Porto nos relatórios das visitas "ad limina" do Arquivo do Vaticano. Porto, 1979 [1981]. Sep. da Revista de História. 2 (1979).

2.      Bibliografia para a história da Igreja em Portugal I: 1961 - 1963. Humanística e Teologia. 2 (1981) 91-112; 203-238; II: 1964 - 1966. Porto, 1982, 60p. Sep. de Humanística e Teologia. 3 (1982) 99- 115; 195 – 232; III: 1967-1970.   Porto,  1984,  74 p. Sep. de Humanística  e  Teologia.  5 (1984) 109 - 133; 233 – 278; IV-V: 1971 - 1974.  Porto, 1985, 74 p. Sep. de Humanística e Teologia.  6 (1985) 230 - 248; 337 – 398; VI: 1975-1979.  Porto, 1987, 102 p.  Sep.  de  Humanística  e Teologia.  8 (1987) 217 - 258; 335 – 388; VII: 1980 - 1984.  Porto,  1989, 98 p. Sep. de Humanística e Teologia.  10 (1989)            235 - 256; 369 - 402; 1990, 11, 95 - 133.

3.      Elementos para a história da evangelização oratoriana no Ceilão. Porto, 1983. Sep. de Humanística e Teologia. 4 (1983) 103-112.

4.      Elementos para a iconografia da Cruz de Cristo na escultura portuguesa. Porto, 1983. Sep. de Humanística e Teologia. 4 (1983) 213-234.      

5.      Algumas reflexões sobre a iconografia religiosa popular. Estudos Contemporâneos. 6 (1984) 85-96.

6.      Bibliografia de Dom António Ferreira Gomes. Humanística e Teologia. 7 (1986) 127-148.

7.      O Milagre de Caná na iconografia paleocristã. I: Catálogo dos monumentos; II: Estudo interdisciplinar: exegese, patrística, liturgia, iconografia, iconologia. Porto, 1986, IX, 305 + 288 pp.

8.      Nota Introdutória à bibliografia. In EXPOSIÇÃO BIBLIO-ICONOGRÁFICA NO DÉCIMO SEXTO CENTENÁRIO DA CONVERSÃO DE SANTO AGOSTINHO - Catálogo. Porto, 1987.

9.          __; PEREIRA, H. M. - Bibliografia do Padre Américo. Humanística e Teologia. 8 (1987) 277-285.

10.  Pobreza nos Padres da Igreja. In A IGREJA e a opção pelos pobres: Jornadas de Teologia. Coimbra, Gráfica de Coimbra, 1988, p. 53-79.

11.  História e sentido do milagre de Caná na liturgia antiga. Didaskalia. 15 (1985) 267-304. Publ. 1988.

12.  Figuras e mosteiros dos Eremitas de Santo Agostinho na segunda metade do século XV. In CONGRESSO INTERNACIONAL BARTOLOMEU DIAS E A SUA ÉPOCA - Actas. Vol. 5. Porto, 1989, p. 393-409.

13.  O perfil vital de um Secretariado Diocesano de Vocações. In A PASTORAL vocacional na Igreja local. Curso de formação para animadores vocacionais. Fátima 1990. Porto, 1991, p. 71-84.

14.  A Manifestação epifânica de Cristo em Caná (Jo 2, 1-11): Patrística, Liturgia e Iconografia. In HOMO Imagus et amicus Dei: Miscellanea in honorem Ivan Golub. Ed. Ratko Peric. Romae: Pontificium Col. Croaticum, 1991, p. 59-70.

15.  Iconografia da Trindade na diocese do Porto. Catálogo da exposição. Porto, 1991.

16.  Responsabilidades missionárias das comunidades eclesiais: «novo advento missionário». Humanística e Teologia. 13 (1992) 207-234.

17.  A paróquia ao longo da história. Theologica. 28 (1993) 13-34.   

18.  Mestres da vida espiritual: Testemunhas do absoluto. Exposição. Paço Episcopal, Porto, 19-31 de Maio de 1993. Catálogo. Porto: Secretariado Diocesano da Pastoral das Vocações, 1993.

19.  __; AZEVEDO, Ana Gonçalves de — Metodologia científica: Contributos práticos para a elaboração de trabalhos académicos. Porto: C. Azevedo, 1994. (2ª edição revista e aumentada, 1994. 3ª edição, 1996; 4ª edição, 1998; 5ª edição 2000; 6ª edição, 2003; 7 edição. Lisboa: UCE, 2004; 8 edição 2006; 9 ed. 2008).        

20.  A acção de D. José António Pereira Bilhano a favor do clero na segunda metade do século XIX. In CONGRESSO DE HISTÓRIA NO IV CENTENÁRIO DO SEMINÁRIO DE ÉVORA - Actas. Vol. 2. Évora: Instituto Superior de Teologia; Seminário Maior de Évora, 1994, p.143-154.

21.  Teologia das nações na patrística: três perspectivas. Communio. 11 (1994) 309-316.     

22.  Perfil biográfico de D. Sebastião Soares de Resende. In SEBASTIÃO SOARES DE RESENDE. Profeta em Moçambique. [Lisboa]: Difel, [1994], p.1297-1325. [Bibliografia de D. Sebastião S. Resende a partir da p. 1317]. Também publicado na revista Lusitania Sacra. 6 (1994) 391-415 [Sem a aludida bibliografia].     

23.  Estruturação dos ministérios na Igreja antiga. In IGREJA e Ministérios. Semana de Estudos Teológicos da UCP. Lisboa: Rei dos Livros, 1995, p. 79-99.

24.  Historiografia religiosa portuguesa contemporânea (Séc. XIX-XX). Apontamentos para um guião da bibliografia posterior a 1980. Anuario de Historia de la Iglesia. Pamplona. 4 (1995) 271-305.

25.  Eles não têm vinho! Carta das Equipas de Nossa Senhora. 4 (1995)17-29.

26.  Mulher e Igreja: 20 séculos de história(s). Cenáculo. 34/3: 133 (1994-1995) 43-64.

27.  Escritos pastorais do Bispo do Porto, D. António Barroso (1899-1918). Humanística e Teologia. 16 (1995) 227-270.        

28.  __; RODRIGUES, Abílio de Sousa — A Igreja Portucalense entre as Guerras: Boletim da Diocese do Porto (1914-1936) - Índices. Porto: C. Azevedo, 1995. 232 p.

29.  Discurso. In FUNDAÇÃO Eng. António de Almeida: Comemoração do 25º Aniversário. Porto: Fundação Eng. António de Almeida, 1996, p. 63-68.

30.  É preciso renovar as estruturas da Igreja. [Entrevista conduzida por Henrique Manuel S. Pereira]. Mensageiro de Santo António. 12: 10 (1996) 3-8.         

31.  Roteiro do Culto Antoniano na Diocese do Porto. Porto: Fund. Manuel Leão, 1996. 319 p., il.

32.  Santa Maria Mãe do Tempo Novo. In MONUMENTO a Santa Maria Mãe do Tempo Novo. Santa Maria da Feira: Grupo de Apoio ao Santuário Paróquia de Santa Maria da Feira, 1996, p. 12-17.

33.  Antoine-Frédéric Ozanam: O leigo cristão. Porto: Sociedade de S. Vicente de Paulo, 1997. 30 p.

34.  __; MAGALHÃES, Vasco Pinto de; PEREIRA, Henrique Manuel S. — Conversas Com… Princípio, Meio e Fim. Porto: C. Azevedo, 1997. 301 p.; 2ª ed. Porto: C. Azevedo, Julho 1997.

35.  Jesus Cristo encarnado nos anos quarenta. In OS INSTITUTOS Seculares rumo ao terceiro milénio: desafios e esperanças. Lisboa: Paulinas, 1997, p. 11-26.

36.  Mons. Miguel de Oliveira no centenário do seu nascimento: Testemunhos, Perfil biográfico, Textos. Válega: 1997. 109 p.

37.  Bibliografia Mariana portuguesa: 1962-1990. A produção teológica. In CONGRESSUS MARIOLOGICI-MARIANI INTERNATIONALIS. Huelva 1992 – Acta. Città del Vaticano: Pontifícia Academia Mariana Internationalis, 1998. Vol.3, p. 743-762.

38.  Maria na formação espiritual dos futuros padres. In CONGRESSUS MARIOLOGICI-MARIANI INTERNATIONALIS. Huelva 1992 – Acta. Città del Vaticano: Pontifícia Academia Mariana Internationalis, 1998. Vol.3, p.591-608.

39.  Igreja Portucalense na recepção do II Concílio do Vaticano. Porto: Diocese do Porto, 1998. 78 p.

40.  Vigor da Imaculada. Visões de Arte e Piedade. Porto: Paróquia Senhora da Conceição, 1998. 140 p., il.

41.  Orações do Advento. Porto: Paróquia Senhora da Conceição, 1999. 2 ed. 2000.           

42.  Via sacra segundo S. Marcos. Porto: Paróquia Senhora da Conceição, 1999. 2ªed. 2000.         

43.  A Música de órgão ao serviço da expressão e da transfiguração da fé cristã In GRANDE órgão de tubos da Igreja Senhora da Conceição. Porto 1998, p.9-12.

44.  Prefácio. In FARIA, Daniel Augusto da Cunha – A vida e conversão de Frei Agostinho: entre a aprendizagem e o ensino da Cruz. Lisboa: Faculdade de Teologia UCP, 1999, p. 5-10.

45.  O impulso conciliar na ética da paz. In RECONCILIAÇÃO caminho para a paz. Porto: Fundação Spes, 2000, p. 37-50.

46.  Seminários. In DICIONÁRIO de História de Portugal. Suplemento Coord. António Barreto; Maria Filomena Mónica. Porto: Figueirinhas, 2000, vol. 9, p.413-414.

47.  Critérios e razões da Exposição “Cristo, fonte de esperança” In CRISTO fonte de esperança: catálogo. Porto: Diocese do Porto, 2000, p.12-16. e várias entradas, para além da coordenação geral da obra.

48.  O lugar da simbólica cristã no inventário cultural. In INVENTÁRIO, que futuro? Porto: Câmara Municipal de Vila Nova de Foz Côa, 2000, p. 7-16.

49.  As origens da iconografia do Natal. In O PRESÉPIO no imaginário popular. Exposição. Vale de Cambra: Câmara Municipal, 2000, p. 11-18.

50.  Dicionário de História Religiosa de Portugal. Dir. Carlos A. Moreira Azevedo. Lisboa: Círculo de Leitores,.2000-2001. 4 vol. Artigos: Introdução, vol.1, p. 5-6; Bula da Cruzada, vol 1, p.276-277; Clero secular. III. Do liberalismo à actualidade, vol 1, p.370-381; Diaconado, vol. 2, p.66-67; Iconografia religiosa, vol.4, p. 406-419; Livro religioso. III Época contemporânea, vol. 4, p. 441-445; Mariologia portuguesa, vol 4, p. 445-457; Porto (Diocese), vol. 4, p. 5-56. Sé, vol. 4, p.192.

51.  História Religiosa de Portugal. Dir. Carlos A. Moreira Azevedo. Lisboa: Círculo de Leitores,.2000-2002. 3 vol.   

52.  Catedral do Porto. Porto: Ed. Cabido Portucalense, 2001. Tradotto in diverse lingue.    

53.  Catálogo das obras impressas no século XVI: Colecção da Biblioteca do Seminário Maior do Porto. Porto: In-Libris, 2001.       

54.  Os ministérios na Igreja dos primeiros séculos. Biblica: Série científica 10 (2001) 119-132.       

55.  Daniel Faria em demanda da luz ou a “claridade da morte”. Viragem: Revista do Movimento Metanoia. 39 (2001) 32-34.    

56.  História da teologia em Portugal no século XIX: as revistas da apologética católica. Humanística e teologia. Porto. 23 (2002) 247-286.        

57.  A Família no plano de Deus. Lumen. 63:5 (2002) 16-20. .

58.  Momentos e temas em confronto nas relações Igreja-Estado em Portugal (1940-2000). In RELAÇÕES Igreja-Estado em Portugal. Lisboa: Centro de Estudos de Direito Canónico; UCE,  2002, p. 7-30. Lusitania canonica; 8.   

59.  A iconografia da Paixão de Cristo: breve síntese. In VIVÊNCIAS da Paixão de cristo: a imaginária religiosa no Concelho de Ovar. Ovar: Câmara Municipal de Ovar, 2003, p.13-17.

60.  Pantaleão da Nicomédia: percurso biográfico, na memória da persistente devoção europeia. In  ESTA É A CABEÇA de São Pantaleão. Porto: Museu Nacional Soares dos Reis, 2003, p. 90-109.    

61.  A peregrinação de Santiago: do vigor das origens à força da actualidade. Cadernos. Centro Catecumenal 1:3 (2003) 48-53. Também In CAMINHO. Porto: Scriptum - Centro Catecumenal da Igreja do Porto, 2003, p. 49-56.      

62.  Iconografia do Espírito Santo: da experiência variada de uma presença às formas figurativas. In EM NOME do Espírito Santo: história de um culto. Lisboa: Torre do Tombo, 2004, p.128- 141.        

63.  Introdução. In DOCUMENTAÇÂO crítica de Fátima. Vol. 3: Das Aparições ao Processo canónico 2: (1918-1920). Fátima: Santuário de Fátima, 2004, p.7-12.

64.  Santo Agostinho, modelo de fé a padroeiro. In SANTO AGOSTINHO e a cultura portuguesa. Leiria: Centro de Formação e cultura, 2004, p. 189-206.   

65.  Ser padre. Lisboa: Universidade Católica Editora, 2004. Campus do saber; 7. 176 p.     

66.  A Bíblia na Tradição da Igreja (DV 7-10). Bíblica: Série científica. 13 (2004) 113-126.

67.  António Barroso, bispo de Meliapor (1897-1899): construtor da unidade. Lusitania Sacra. 16 (2004) 399-410.

68.  Determinação pastoral de D. Jerónimo da Costa Rebelo, Bispo Eleito (1840-1843) e Confirmado (1843-1854) do Porto. In ESTUDOS em Homenagem a Luís António de Oliveira Ramos. Porto: Faculdade de Letras da Universidade do Porto, 2004, vol.1, p.211-221.  

69.  O Serviço do poder na Igreja e no Estado: a difícil liberdade de D. António Ferreira Gomes. In A IGREJA e o Estado em Portugal: da 1ª República ao limiar do século XXI. Actas dos Encontros de Outono 21-22 de Novembro de 2003. Vila Nova de Famalicão: Câmara Municipal de V.N. Famalicão; Museu Bernardino Machado, 2004, p. 261- 276.         

70.  Nova interpretação dos esquemas iconográficos da Imaculada. Annuarium: Seminário Maior de Nossa Senhora da Conceição. Porto. (2004-2005) 94-109.

71.  L’insegnamento nella Facoltà di Teologia di Coimbra nel contesto europeo del secolo XIX. In COLÓQUIO INTERNACIONAL A Igreja e o clero português no contexto europeu. Lisboa: Centro de Estudos de História religiosa da Universidade católica Portuguesa, 2005, p. 295- 306.           

72.  MÁRTIR (O): corpo ferido na árvore. Catálogo da exposição comemorativa dos 500 anos da festa das fogaceiras em honra de São Sebastião. Coord. Carlos A. Moreira Azevedo. Santa Maria da Feira: Câmara Municipal, 2005. 144 p.

73.  Simbologia vegetal e espiritualidade: introdução ao tratado de Isidoro Barreira. In BARREIRA, Isidoro – Tratado das significaçoens das plantas, flores, e fruttos. Lisboa: Na Officina de Manoel Lopes Ferreyra, 1698. Ed. fac-simile. Lisboa: Alcalá, 2005, p. I-XII.     

74.  As raízes cristãs da Europa: verdade histórica e desafios da missão. Missão OMP: Revista trimestral das obras missionárias pontifícias. 3:3 (2005) 2- 8; 3:4 (2005).    

75.  Reler um documento inovador, na complexidade desta hora. In II CONCÍLIO Ecuménico do Vaticano – Constituição pastoral Gaudium et Spes. Lisboa: Centro de Reflexão Cristã, 2005, p.5-10.       

76.  O “sotaque” portuense da festa de S. João. Communio. 22 (2005) 213-216.      

77.  Forma de vida canónica: Nota histórica. In ORDENS religiosas em Portugal das origens a Trento: Guia histórico. Lisboa: Livros Horizonte, 2005, p. 169-171.       

78.  Iconografia portuguesa de São Vicente, Diácono e Mártir. In SÃO VICENTE, Diácono e mártir, padroeiro de Lisboa. 1700 anos do martírio de S. Vicente. Lisboa: Centro Cultural de Lisboa Pedro Hispano, 2005, p. 123-135.   

79.  A novidade do sacerdócio de Jesus Cristo: o estilo eucarístico da sua vida de comunhão com o Pai. Igreja Portucalense. n. 9 (2005) 41-50.           

80.  Presença dos cristãos na cidade. Reflexão cristã. 25-26 (2005) 16-19.              

81.  Para entender as relíquias. Nova et Vetera. 1 (2006) 85-87.       

82.  Narração de autêntica religiosidade. In PAULA Rego: Ciclo da vida da Virgem Maria. Capela do Palácio de Belém. Lisboa: Museu da Presidência da República, 2006, p. 34-39.       

83.  O carácter do Bispo da Beira através da correspondência com dois padres milheiroenses. Villa da Feira. 12 (2006) 13-18.    

84.  Breve profilo biografico di António Ferreira Gomes (1906-1989). In GOMES, António Ferreira – Lettere al Papa. Roma: Città Nuova Editrice, 2006, p.255-266.    

85.  Textos introdutórios. In D. ANTÓNIO Ferreira Gomes. Fotobiografia e testemunhos. Porto: ASA, 2006.           

86.  Bodas de Caná: a polivalência simbólica de um tema raro na arte portuguesa. Communio. 23:2 (2006) 199-204.  

87.  Intervenção no Colóquio “as artes e o sagrado: encontros e desencontros”. Vida Católica. 23 (2006) 101-110.  

88.  As origens dos ciclos iconográficos de S. João de Deus. In 75 ANOS da restauração da Província Portuguesa da Ordem Hospitaleira de S. João de Deus. Alcalá: Ordem Hospitaleira de S. João de Deus, 2006, p.201-219.

89.  Abertura. In BASÍLICA de Nossa Senhora dos Mártires e as outras igrejas do Chiado. Lisba: Fundação Sousa Pedro, 2006, p. 16-17.   

90.  O futuro de um legado: ser cristão credível. In SER CRISTÃO na sociedade aqui e no futuro. Actas. Porto: Fundação Spes, 2006, p.247-254.  

91.  Sé do Porto. In MOEDAS de Colecção comemorativas Portugal 2005. Lisboa: INCM, 2006, p.29-51. 

92.  Ao Deus de todas as manhãs. Prior Velho: Paulinas, 2006. 3º edição. 2007.

93.  A profecia no compasso da beleza. In O COMPASSO da terra. A arte enquanto caminho para Deus. Vol. 2: Tarouca. Lamego: Diocese de Lamego, 2006. p. 6.         

94.  Indicações para a vida espiritual no século XXI. Filermo. 9 (2000-2005). Sep. Pub. Ordem Soberana e Militar de Malta, 2007, p. 1-13.      

95.  Os padres diocesanos: espiritualidade e desafios pastorais. Novellae Olivarum. 34 (2007) 9-17.

96.  ENCICLOPÉDIA de Fátima. Coord. Carlos A. Moreira Azevedo; Luciano Cristino. Lisboa: Principia, 2007. apresentação p. 5-6; art, Religiosidade popular p. 459-474. 2ª edição 2008.       

97.  Sentido e significado de construir uma igreja. In I CENTENÁRIO da Igreja Paroquial de Milheirós de Poiares. Santa Maria da Feira: Liga dos Amigos da Feira, 2007, p. 5-8.    

98.  A visibilidade do invisível. In MEMÓRIAS Sinais Afectos: nos 90 anos das Aparições de Fátima, Catálogo da Exposição. Lisboa: Patriarcado de Lisboa, 2007, p. 7-8.

99.  Passos da vida de Maria segundo os vitrais da Igreja da Senhora da Conceição no Porto. Porto: Paróquia Senhora da Conceição, 2007. 46 p.        

100.      Papel de D. António Ferreira Gomes no II Concílio do Vaticano. In SER BISPO conciliar no exílio (1959-1969). Porto: Fundação Spes, 2007, p. 5-13.     

101.      Os Eremitas de Santo Agostinho na espiritualidade do século XVII. In TURRES Veteras X. História do sagrado e do profano. Lisboa: Edições Colibri, 2008, p. 95-105.

102.      A fidelidade à Palavra, a determinação política, a beleza formal. Padre António Vieira: os mesmos desafios quatro séculos depois. Brotéria. 166 (2008) 467-473.   

103.      Expressões iconográficas da Trindade existentes em Portugal. In CONGRESSO INTERNACIONAL Santíssima Trindade Pai, Filho, Espírito Santo... Fátima: Santuário de Fátima, 2008, p. 373-408.  

104.      Introdução. In BRAGANÇA. Joaquim de Oliveira – Liturgia e espiritualidade na Idade Média. Lisboa: UCE, 2008, p. 7-21.    

105.      Ribeiros de esperança: intervenções pastorais para a aventura cultural do século XXI. Lisboa: Paulus Editora, 2008.      

106.      Apresentação: o significado do sacrário. In SACRÁRIOS das Igrejas paroquiais de Vale de Cambra: do maneirismo ao Rococó. Coordenação de Maria Clara de Paiva Vide Marques. Vale de Cambra: Coraze, 2008, p. 5-7.        

107.      Irene Vilar: escultora com enérgica melodia. Villa da Feira. n.21 (2009) 43-51.          

108.      A vivência pastoral da Paróquia do Santíssimo Sacramento. In BESSA-LUÍS, Agustina; SILVA, Germano; Sousa, Gabriel de; AZEVEDO, Carlos A. Moreira - Paróquia do Santíssimo Sacramento: história e vida pastoral. Porto: Paróquia do Santíssimo Sacramento, 2009, p. 71-173.                

109.      D. Frei Patrício da Silva, OSA (1826-1840). In OS PATRIARCAS de Lisboa. Lisboa: Centro Cultural do Patriarcado de Lisboa; Aletheia Editores, 2009, p. 73-80.           

110.      Recriar a plenitude da misericórdia: profecia em acto. In AS CATORZE obras de Misericórdia. Porto; Lisboa: Santa Casa da Misericórdia do Porto; Aletheia Editores, 2009,  p.5-7.

111.      Introdução. In DOCUMENTAÇÃO crítica de Fátima. Vol. 4/4: Do início do Processo Canónico Diocesano à criação da Capelania: 1 Jan. 1926 – 12 Jul.1927. Fátima: Santuário de Fátima, 2009, p. 5-10.

112.      São Nuno de Santa Maria: um santo condestável e carmelita. Azimute: Revista Militar de infantaria.187 (2009) 25-27.

113.      Discurso de encerramento. In DAR VOZ aos pobres para erradicar a pobreza. 60º aniversário da Declaração Universal dos Direitos humanos. Lisboa: Comissão Nacional Justiça e Paz, 2009, p. 129-133. 

114.      Al Dio di ogni mattino. Padova. Ed. Messaggero, 2009. 215 p.

115.      Teólogos que marcaram a história da bíblia. Bíblica. 32: 18 (2009) 89-102.

116.      ARAÚJO, Amadeu Gomes de; AZEVEDO, Carlos A. Moreira – Réu da República: o missionário António Barroso Bispo do Porto. Lisboa: Aletheia, 2009, p. 223-342.    

117.      Igrejas-museus: da celebração da fé à pedagogia da arte. In EXPOSIÇÃO Arte e devoção: formas e olhares. Desvelar património… velar pelo património. Vila Franca de Xira: Museu Municipal, 2009, p. 8-9.

118.      Sentido teológico e espiritual do título Madre de Deus: viver a contemplar a carne do Verbo. In CASA perfeitíssima. 500 anos da Fundação do Mosteiro da Madre de Deus. Lisboa: Museu Nacional do Azulejo, 2009, p. 59- 63, 329- 331 (inglês).                   

119.      O dever da responsabilidade perante o que é real. Síntese. n. 200 (2010) 31-32.

120.      República e Igreja cem anos depois. Síntese. n. 201 (2010) 25-28.

121.      Responsabilidade por uma ética solidária. Síntese. n. 203 (2010) 27-29.

122.      Testemunho crónico de acontecimento sublime. In BENTO XVI em Portugal. Discursos, homilias, testemunhos e reflexões. Porto: Secretariado Diocesano de Pastoral da Cultura, 2010, 23-27.

123.      Impulso espiritual e apostólico da visita de Bento XVI a Portugal. Brotéria. 170 (2010) 421-428.

124.      Daniel Faria, operário do silêncio. In E AGORA sei que ouço as coisas devagar: evocação e escuta de Daniel Faria. Actas do Colóquio (Porto, 8-9 de Junho de 2009). Org. de Francisco Topa e Marco de Oliveira Marques. Porto: Sombra pela cintura, 2010, p. 29-38.

125.      São Paulo na arte portuguesa. Invenire: revista de bens culturais da Igreja. 1 (2010) 6-13.

126.      Enciclopedia di Fatima. A cura di Carlos A. Moreira Azevedo; Luciano Cristino. Ed. italiana a cura di Paolo Collo; Guia Boni. Siena: Ed. Cantagalli, 2010.

127.      Bezoek van Benedictus XVI aan Portugal. Pro Petri Sede. 4 (2010) 18-20.

128.      Nota histórica: Visita de Bento XV a Portugal. In Anuário 2010-2011Patriarcado de Lisboa. Lisboa: Nova Terra, 2010, 7-9.

129.       Conflito de valores e fractura social: o sistema de sentido. Síntese. n. 205 (2010) 25-27.

130.      A iconografia da Trindade na arte do marfim dos séculos XVI e XVII. In  AS ARTES DECORATIVAS e a expansão portuguesa: imaginário e viagem. Actas do 2º Colóquio de Artes Decorativas. Lisboa: Fundação Ricardo Espírito Santo: Escola Superior de Artes Decorativas, 2010, p. 246-251.

131.      Entre memória e criação. In ENTRE MEMÓRIA e criação. A reabilitação da Ermida de São Sebastião em Almada. Almada: Câmara Municipal, 2010, p. 132- 137.

132.      Miniatura da Basílica de Belém et al. In E HABITOU entre nós. Imagens do Menino Jesus no Patriarcado de Lisboa. Lisboa: Centro Cultural do Patriarcado de Lisboa; Letras várias, 2010, p. 80-93. Seis entradas no catálogo da exposição.

133.      Catedral, expressão histórica do magistério e do exercício pastoral. Eborensia. 22: 44 (2010) 27-40.

134.      Desastre da autogestão da economia. Síntese. n. 206 (2011) 31-34.

135.      Encerramento. In AS BIBLIOTECAS e o livro em instituições eclesiais. Actas do I Encontro Nacional. Seminário Maior de Coimbra 2009. Lisboa: Secretariado dos bens culturais da Igreja, 2011, p.73-74.

136.      Padre Manuel Leão, vida ao serviço do bem comum. Villa da Feira. 9:27 (2011) 13-18.

137.      Ordem dos Eremitas de Santo Agostinho em Portugal (1256-1834). Edição da Colecção de Memórias de Fr. Domingos Vieira. Lisboa: CEHR, 2011.

138.      As crises: momentos fortes de crescimento. Síntese. n. 208 (2011) 35-37.

139.      Beatificação da Irmã Maria Clara. Homilia na Vigília de oração. 18 de Maio de 2011. Lumen. 72:2 (2011) 46-47.

140.      Última Ceia Isabel Nunes. In ISTO É o meu corpo. Lisboa: Centro Cultural do Patriarcado, 2011, p.4-7.

141.    Cultura política: produto de primeira necessidade. Síntese. 213 (2012) 32-34.

142.    O fracasso como experiência de vida. Síntese. 214 (2012) 28-30.

143.    Editoriale. Culture e Fede. 20 (2012) 83-84. (Invecchiare).

144.    Laicidade e Igreja. In DIAFANIAS do Mundo: Homenagem a Mário F. Lages. Lisboa: Universidade católica Editora, 2012, p. 131-136.

145.    A Capela de Nossa Senhora de Campos em Santa Maria da Feira: Recolha documental. In REIS, Roberto Carlos; AZEVEDO, Carlos A. Moreira – Santa Maria de Campos. Santa Maria da Feira, Capela Santa Maria de Campos, 2012, p. 55-78.

146.    HADJADJ, Fabrice – Job ou a tortura pelos amigos. Trad. de Carlos A. Moreira Azevedo. Gaia: Fundação Manuel Leão, 2012.

147.    Porquê o Concilio? Génese e contexto, intuições e objetivos. Vida consagrada. (2012) 323-345.

148.    De 1965 a 2012: os ambientes culturais. Sintese. 216 (2012) 28-32.

149.    Hildegarda de Bingen, “profetisa da Germania”, nova doutora da Igreja. Sintese. 217 (2012) 26-30

150.    Crer: imagens de uma aventura. Believing: scenes of an adventure. Pinturas: Isabel Nunes. Textos: Carlos A. Moreira Azevedo; Associação Portuguesa de cultura e desenvolvimento. Lisboa: Paulus, 2012, p.9-11, 18-59, 63-75, 106-111.

151.    Papel da Igreja no encontro com o mundo da Cultura a 50 anos da Gaudium et Spes. Igreja e missão. 221 (2012) 269-293.

152.    Constantino: persistência de um paradigma na Igreja de hoje. Didaskalia. 42:2 (2012) 177-193.

153.    Núcleos de recepção bibliográfica: dioceses e congregações. In AS BIBLIOTECAS e o Livro em instituições eclesiais. Actas do II e III Encontro Nacional. Moscavide: Secretariado Nacional para os Bens culturais da Igreja, 2013, p. 32-40.

154.    Misión y necesidad de los Centros Culturales Católicos para la actual evangelización de América. Documento del Pontificio Consejo de la Cultura. In V Encuentro de Centros Culturales Católicos del Cono Sur. Buenos Aires, 18-21 setiembre 2012, Buenos Aires: CIES - Fundación Aletheia, 2013, p. 35-51.

155.    O serviço profético da fé impolítica. Síntese. 218 (2013) 21-23.

156.    A iconografia de São Teotónio. In SÃO TEOTÓNIO. Patrono da Diocese e da Cidade de Viseu 1162-2012. Coord. João Soalheiro; Maria de Fátima Eusébio. Viseu: Câmara Municipal de Viseu, 2013, p.54-71.

157.    Fim da era constantiniana e Papa Francisco. Síntese. 220 (2013) 25-27.

158.    Assembleia Plenaria: conclusioni. Culture e fede. 21 (2013) 90-95.

159.    O político crente segundo Dag Hammarskjöld. Síntese. 221 (2013) 19-22.

160.    Cúria romana à medida do Concílio. Síntese. 222 (2013) 20-23.

161.    TUROLDO,  David Maria - A paixão de São Lourenço. Tradução Carlos A. Moreira Azevedo. Prefácio de Gianfranco Ravasi. V. N. de Gaia: Fundação Manuel Leão, 2013.

162.    RANGEL, André Rubim – D. Carlos Azevedo: a verdade empreendedora. In PORTUGAL empreendedor. Trinta figuras empreendedoras da cultura portuguesa. Coord. Jacinto Jardim; José Eduardo Franco. Lisboa: INCM, 2013, p. 281-291.

163.    Nuove espressioni nell’arte e novità dell’estetica cristiana. Culture e fede. 21 (2013) 119-121.

164.      São Jorge, santo global. In S. JORGE: narrativa de uma homenagem. Caldas de S. Jorge 22-04-2012. Caldas de S. Jorge, Vá lá Vá lá podia ser pior, [2014], p.48-63.

165.      As ordens religiosas e renovação histórica da radicalidade. In PARA A HISTÓRIA das ordens e congregações religiosas em Portugal, na Europa e no mundo. Coord. de José Eduardo Franco; Luís Machado de Abreu. Vol.1, Prior Velho: Paulinas ed., 2014, p. 25-40.

166.      João de S. José Queirós, OSB (1711-1764). Vida e tribulações do erudito bispo do Pará, na época pombalina. Matosinhos, Ancima: Associação para a Animação da Cidade, 2014. 137 p.

167.      Scambio di idee su prospettive future per un cammino comune tra archivisti eclesiastici europei e conclusioni. In CONFERENZA DI ARCHIVISTI ECCLESIASTICI EUROPEI, 2º. 2013 – [Atti], a cura di Gaetano Zito. Città del Vaticano: Associazione Archivistica Ecclesiastica, 2014, p. 129-136. Quaderni di “Archiva ecclesiae”; 12.

168.      Editoriale. Culture e Fede. 22 (2014) 183-184.

169.      A fiel crítica política de um católico: a coerência evangélica de Dom António Ferreira Gomes, antes e depois de Abril [1974]. Povos e culturas. 20 (2014) 53-68.

170.      Caminhos para uma vida solidária: Intervenções na pastoral social. Lisboa: Ed. Caritas, 2014. 187 p.

171.      Cristo, piedra angular, los cristianos piedras vivas del edifício espiritual. In LA CATEDRAL de Salamanca de Fortis a Magna. Coord. Mariano Casa Hernández. Salamanca: Diputación de Salamanca, 2014, p.35-50.

172.      Saluto. In CATTEDRALI EUROPEE: il patrimonio pittorico. Pisa. 17-18 Ottobre 2014. Pisa: Opera  della Primaziale Pisana, 2015, p. 19-20.

173.  Valores y futuro del Patrimonio de la Iglesia. In CATEDRALES y Monastertios patrimonio mundial. Sevilla 2013. Sevilla: Univ. Pablo de Olavide, 2015, p. 173-184.

174.  O lugar da cultura inspirada no Evangelho de Jesus. In O LUGAR da Cultura. Lisboa: Secretaria da Estado da Cultura, 2015, p. 169-175.

175.  Cabido, Bispo e Governador: o jogo do poder ou o jugo do serviço ao Povo? O caso de Joaquim de Meneses e Ataíde (1811-1820). In DIOCESE do Funchal A primeira diocese global: História, cultura e espiritualidades. Dir. José Eduardo Franco e João Paulo Oliveira e Costa. Funchal: Diocese do Funchal, 2015, p. 533- 576.

176.  Terramoto doutrinal: a Carta dogmático-política do P. João Moutinho contra a Inquisição. Lisboa: Temas e debates: Círculo de leitores, 2015. 274 p.

177.  Confronto entre presença franciscana e bispos de Angra, no fim do Antigo Regime (1782-1820): a reorganização eclesial, na documentação vaticana. Boletim do Instituto histórico da ilha Terceira. 73 (2015) 21-117.

178.  Homilia São Sebastião. Villa da Feira. 42 (2016) 37-50.

Collaborò nella nuova edizione del Lexikon fur Theologie und Kirche, com articoli sul Portogallo.